(BEDA #10) Por quê moda?

10.8.16

     "Por quê moda?" Foi com essa pergunta que a professora iniciou a minha primeira aula na faculdade três anos atrás. E bateu aquele nervoso, sabe? Quando você é nova em um lugar, todo mundo te olhando, esperando uma resposta e você só consegue pensar em como detesta falar em público. Em como foi pega despreparada com essa pergunta curta, aparentemente simples, mas que palavra nenhuma parecia servir para respondê-la. Em meio às mãos suando e o coração acelerado puxei o ar e soltei: "Porque sempre me interessei e quando criança achava legal fazer roupas para minhas bonecas". Foi essa a grande resposta de alguém que até então queria ser estilista.


      Agora, pensando nisso, há tanto que eu poderia ter dito e tanto que ficou incompreendido nessa frase. Afinal, moda não foi algo que SEMPRE me interessou. Só decidi que queria entrar nesse ramo quando uma professora do fundamental olhou meus desenhos e disse que eu deveria ser estilista. É claro que naquele tempo eu não sabia o que estilista significava. E quando me disseram que é a pessoa que cria roupas eu achei incrível. Pelo menos na minha mente de criança.


         Imagine só, CRIAR, INVENTAR, DESENHAR e FAZER o que as pessoas vestem. Era fabuloso. Um mundo inteiro de possibilidades se estendia à minha frente. Um mundo onde as minhas bonecas vestiam o que eu quisesse – precisamente os lenços da minha mãe que destruí - e o melhor, peças feitas por mim.  Tudo saído daqui, da minha cabeça. Afinal, imaginação é o que não falta em uma criança. E aos nove (ou será que era 10?) anos, a ideia de criar me pareceu fantástica.


      Meu sonho, então, passou a ser entrar em uma faculdade de moda. Eu olhava todos aqueles desfiles admirada. Algumas peças eram tão perfeitas que chegava a ser difícil acreditar que uma pessoa criou aquilo. Não era só um monte de gente magra usando roupas bonitas. Era arte e era lindo. Eu queria, e precisava, fazer parte daquilo.


       Mais tarde, ao entrar na faculdade, ainda tinha algumas dúvidas em relação a mim e ao curso. Até uma professora parar na frente da turma e dizer: “Todos nesta sala são grandes e vocês não fazem ideia do que são capazes de criar”. Descobri que me apaixonei e me identifiquei com todas as áreas do curso até agora. Descobri que não preciso me importar com o que os outros pensam. Descobri que não tenho mais certeza se quero ser estilista. Resumindo: eu me descobri.


       Foi no curso de moda que me senti realmente livre. Livre para criar o que eu quiser. Livre porque percebi que cada um ali é único. Cada um tem seu estilo. E a moda está aberta para todos eles. Engana-se quem acha que a moda é seletiva e cerra as porta. Ela as abre. Abre para o novo, para o velho e para as possibilidades.


.


Me desculpem pelos erros de português. Não sou uma grande escritora, mas resolvi dar a cara à tapa mesmo assim. Quem sabe alguém não se identifica?


Não se esqueça de compartilhar comigo como foi a sua experiência ao entrar em uma faculdade, como foi escolher o curso, ... Vou adorar saber! Beijos <3


Follow my blog with Bloglovin


*Imagem de capa disponibilizada por Ivorymix

Vem ler também...

0 comentários

Google+

Favoritos

Arquivo do blog

Subscribe