Arruma as malas e vem

16.9.16

    Anda, pega as suas coisas e vem. Uma meia aqui, um perfume ali, um tênis perdido no meio da sala. Não dê muita bola para a organização. Só arruma as malas e vem. Eu abro as portas do meu lar, a janela e tudo o que existe guardado em mim para você. Me desfaço, me refaço e viro de ponta cabeça para que a sua vida se encaixe na minha.


      Desprende o nó, desenrola, descomplica e deixa rolar. Vem fazer parte do meu mundo. Deixe-me ultrapassar todas as barreiras que nos distanciam. Não sou muito exigente, não. Eu prometo. Juro de joelhos e pés juntos que se você me der uma brecha, te mostro tudo o que o amor tem a oferecer.


      Toca meu corpo, minha mente, minha alma. Você me ensina sobre desprendimento e eu te ensino a fazer música sem precisar de instrumento. Te ajudo a cantar fora do ritmo e a dançar no temporal. E se faltar alguma coisa, não tem problema. A gente dá um jeito. Troca, corre e vai atrás. Só vem. Pega na minha mão que aqui sempre tem espaço para você, em toda a sua complexidade e infinidade de ser quem és.


Vem e te prometo: vai ter sol até quando chover.

Vem ler também...

0 comentários

Google+

Favoritos

Arquivo do blog

Subscribe