Carta para todas as minhas antigas versões

16.10.16

Anda, levanta essa cabeça menina! Tudo bem não se encaixar. Tudo bem ter vergonha. Tudo bem chorar. Não é o fim do mundo ficar na própria companhia. Não tem problema ficar sozinha.  Não vá na onda dos outros. Não faça o que acha errado só para tentar ser aceita. O que os outros pensam de você nem tem tanta importância assim. Na verdade, não tem importância nenhuma.


Endireite essa postura e devolva todas as ofensas com um sorriso. Eu sei que aos 11 anos a escola parece ser um mundo à parte. Sei que as crianças são maldosas quando querem. Sei como é ter medo de ficar só. Parece horrível agora, mas passa. Parece o fim do mundo, mas daqui alguns anos você ainda vai dar risada. Toda experiência negativa só tem a somar. É aquela velha história " O que não mata fortalece". E no seu caso, isso só vai te deixar mais forte.


Eu vi que você trocou de escola, se renovou,se reinventou, fez novas amizades. Adotou uma postura mais firme, mas construiu barreiras. Eu sei que lá no fundo você ainda tem medo que te tratem mal. Mas expulsar qualquer um que represente uma ameça não é a solução.


Agora você responde na mesma moeda, ou até pior, mas isso também não ajuda em nada. A não ser afastar quem realmente se importa com você. Na verdade, toda essa defesa é aquele velho medo de que te façam se sentir como menos do que realmente é. Você pode negar, enterrar a sete chaves, mas lá no fundo ainda se importa com o que irão pensar. Acho que isso permanece até terminar a escola.


Porém, com o tempo você percebe: a única opinião que realmente importa é a sua. Não dê tanta importância assim para os seus erros. Falhar é a coisa mais humana que existe nesse mundo. Não se cobre tanto. Ninguém é perfeito. Quando você aprender a se perdoar, também estará pronta para fazer o mesmo com os outros e aceitá-los como são.


Doe-se também, mesmo que seja aos pouquinhos, sem medo de ser feliz. Não tenha vergonha nem receio de abrir sua alma e seu coração para alguém. Você vai se decepcionar? Vai. Vai se magoar? Sim! Você vai sentir que quebraram seu coração em mil pedacinhos. Vai chorar no colo da amiga. Vai descontar tudo em um pote de sorvete. Vai desejar nunca mais amar. Vai escutar muita Taylor Swift. E, tal e qual quando você tinha 11 anos, essa nova situação parecerá o fim do mundo. Mas passará. Você perceberá que  há muito o que viver  e novas pessoas para conhecer. 


Você ainda vai quebrar a cara muitas vezes, confiar na pessoa errada, fazer pelos outros o que eles não fariam por ti, para perceber que antes você tem que agradar a si mesma. E mesmo quando a sua própria companhia não lhe agradar, aceite-se. Aceite o pacote completo, com todas as qualidades e defeitos. Coloque-se sempre em primeiro lugar, não é egoísmo, não. Ame-se antes de tudoO seu corpo é a sua casa. O seu lar. O seu abrigo. Só quando você se sentir confortável dentro dele, passará a gostar da própria companhia. E a partir do momento que isso acontecer, você nunca mais se sentirá sozinha. 


.


[A ideia era fazer um post no dia das crianças, que já veio e já passou, sobre "O que eu diria para o antigo eu", especificamente quando eu era criança. Mas decidi mudar e fazer uma carta para todas as antigas versões de mim. O que foi complicado, porque acabou se tornando algo pessoal demais e ainda tenho a tendência de me fechar para mundo. Mas a ideia do blog é justamente essa: se abrir, trocar experiências, encontrar pessoas que se identifiquem e deixar uma partezinha de mim em cada um que se dedica a ler o que escrevo. Espero que tenham gostado <3]

Vem ler também...

0 comentários

Google+

Favoritos

Arquivo do blog

Subscribe