Pequenas coisas

2.6.17


Talvez eu não seja a pessoa dos seus sonhos. Também não sou aquele personagem de filmes que arranca suspiros só com um piscar de olhos. Não escrevo longos textos de amor. Não me desmancho em palavras. Nem em nada, para falar a verdade. Tão o contrário de você, que parece se desmanchar em sentimentos quase sempre.

Eu não vou escrever grandes declarações no Facebook. Raramente lembro de datas comemorativas. Não entrego flores ou um presente novo a cada semana e me perdoe se eu esquecer de segurar a porta para você. Também não sei tocar nenhum instrumento, muito menos cantar.

Mas deixa eu te dizer uma coisa. Apesar de não demonstrar muito, sinto infinitamente. Vou te olhar nos olhos todos os dias e falar o quanto é especial, porque para mim poucas palavras bastam se são sinceras. Estarei ao seu lado quando tudo ao seu redor parecer desmoronar. Segurarei todas as pontas para você. Apertarei a sua mão e te deixarei forte, quando sentir que está cedendo.

Farei chá quando estiver doente. Massagearei seus pés quando doerem e até deixarei que ocupe todo o espaço da cama sem reclamar. Te abraçarei toda vez que tiver uma crise de ansiedade. Assistirei a filmes chatos com você, dizendo que adorei. E eu te prometo que toda noite, antes de dormir, as minhas palavras soarão como melodia nos seus ouvidos quando eu disser o quanto te amo.

É que me ensinaram, desde criança, que o amor está nas pequenas coisas.

Vem ler também...

0 comentários

Google+

Favoritos

Arquivo do blog

Subscribe