Melhores momentos do meu intercâmbio (parte I)

by - 11.4.18


Semana passada bateu uma saudade do meu intercâmbio e talvez fosse a tpm, mas estava me sentindo nostálgica. Sabe aqueles dias que você só quer escutar música antiga e revirar fotos no computador? Pois é, isso mesmo. Pouco mais de um ano voltei do intercâmbio, em fevereiro de 2017. E um tanto mais ainda que arrumei as malas. Em setembro desse ano fará dois anos que embarquei em um avião rumo à Portugal.  

Não parece, mas o tempo passa minha gente. Dias e meses viram anos. E fico pensando no tanto de foto que não veio parar por aqui. Em tantos momentos que nem sequer foram fotografados ou compartilhados porque estar presente no momento era mais importante. Nem sempre conseguimos carregar a vida na lente de uma câmera ou celular. Nem sempre é possível e nem sempre queremos. Mas tentei ao máximo eternizar cada momento em uma foto ou outra, para relembrar, caso desse saudade. Canceriana é assim. Acumula tudo, principalmente histórias. Quando vai já quer voltar e quando volta já quer ir de novo.


Fica até difícil escolher poucos momentos para aparecer nesse post. Alguns, inclusive, já apareceram entre um post e outro quando estava do outro lado do atlântico.  Começarei então, pela primeira vez que me senti DE FATO em Portugal. Como se aquele fosse o meu lar, embora temporário. Esse momento foi a Latada. Não me deterei em muitas explicações, já que fiz um post exclusivo sobre isso (cliquem aqui para acessar). De forma resumida, a Latada é um evento que marca o início do período letivo e os alunos se reúnem em algo parecido com o nosso carnaval de rua.


Ajudei a fazer um cartaz ao lado dos outros alunos do intercâmbio e deixei meu nome lá registrado junto com o nome da faculdade que vim daqui do Brasil, a Feevale. Existem inúmeras formas de se fazer presente, por mais simples que pareça. Por mais que o cartaz vá para o lixo. Por um breve momento consegui deixar registrado 'eu estive aqui, em Portugal, e trouxe um pedaço do meu Brasil comigo'. Engraçado é que agora, uma parte de Portugal veio comigo também.


Experimentei uma sensação parecida na Trilha da Serra da Gardunha. Horas de caminhada exaustiva na floresta das montanhas e um café da manhã compartilhado, para observar a beleza desse mundo em que vivemos. Ver árvores se colorindo em laranja e amarelo. O ceú azul estendendo-se pela serra com nuvens e neblinas. Cidades minúsculas abaixo de nós, com casas brancas e telhados laranja.


Depois da caminhada, descemos novamente para a cidade, compartilhar da queima das castanhas. Os moradores fizeram um fogueira gigante e, bem, queimaram as castanhas em um grande festival de música tradicional portuguesa e risadas. Nem todo português é fechado, como costumam dizer. Ou talvez até sejam, dependendo do local e da ocasião. Mas sabem partilhar suas tradições com os outros como ninguém. Nos incluem em seus hábitos, sua cultura e suas tradições de braços abertos. Imaginem minha surpresa quando mais de um estranho veio passar o carvão da fogueira no meu rosto. Acho que já tinha me acostumado à rigidez e à formalidade do ambiente acadêmico no qual estava inserida que achei que todo o resto do país fosse assim. Ainda bem que sempre somos surpreendidos. Existem mais lados em um único lugar do que pensamos. E Portugal, ah, Portugal - apesar da frieza no inverno - transborda de música e história.  


Não consigo encontrar forma de finalizar melhor esse post, do que utilizando a famosa frase da cidade que foi minha casa em Portugal, estampada em uma de suas paredes. "Um brinde à Covilhã, que brindou a nós". A cidade que não tem vergonha de dizer "aqui as ruas tem nomes de amores perdidos". Outra frase estampada nas paredes, caso queiram saber. A cidade cujos becos e vielas eu não consegui gravar o caminho de tão confuso. Mas me fez perceber que vez ou outra, faz um bem danado se perder e encontrar uma obra de arte em um canto esquecido. 

Haverá uma parte II desse post, porque escrevi tanto para poucas fotos, que não quero deixar cansativo para vocês.  Me acompanhem nas redes sociais abaixo para saber quando sai a segunda parte. 
                                      Me acompanhe também: Instagram x Facebook x Youtube

Você pode gostar destes também!

4 comentários

  1. que experiência incrível. Eu nunca fiz intercâmbio, mas vontade não falta, falta grana mesmo hahaha.
    Adorei seu post <3
    beijo www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wanessa! Aaah foi uma experiência incrível mesmo <3
      Espero que um dia tenha a oportunidade também!
      Beijão

      Excluir
  2. Merilyn de Paulo18/4/18 15:23

    Que texto lindo!! Amei suas experiências e aguardando o próximo post <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Merilyn! Ah, muito obrigada <3 O próximo post sai essa sexta!

      Excluir